Medicina Especialidade Endocrinologia

Um paciente, com sessenta e dois anos de idade, com antecedentes de hipertensão arterial sistêmica e dislipidemia, em tratamento com cardiologista, procurou um endocrinologista devido ao diagnóstico recente de diabetes, em avaliação laboratorial de rotina (apresentou glicemia de jejum de 142 mg/dL e, duas semanas depois, com a repetição do exame, o resultado foi de 138 mg/dL). Ao exame físico, apresentou PA de 140 mmHg × 90 mmHg, FC de 88 bpm, IMC de 32 kg/m2, circunferência abdominal de 114 cm, e acantose nigricans cervical. Não foram observadas outras alterações. O paciente foi orientado a respeito da doença, da importância de um bom padrão alimentar e da atividade física, e encaminhado a um nutricionista. Foi iniciado tratamento com antidiabético oral e o paciente foi informado a respeito da importância de se rastrearem complicações microvasculares ao longo do acompanhamento.

Acerca do caso clínico apresentado, assinale a opção correta.

  • A.

    A conduta adotada está incorreta, pois para se estabelecer o diagnóstico de diabetes seria necessária a realização de um teste oral de tolerância à glicose.

  • B.

    Esse rastreamento pode ser feito por meio da realização de fundoscopia, microalbuminúria/proteinúria, e avaliação neurológica das extremidades inferiores, iniciados na ocasião do diagnóstico e repetidos anualmente ou com menor frequência de acordo com alterações eventualmente encontradas.

  • C.

    Esse rastreamento pode ser feito por meio da realização de depuração de creatinina (clearance de creatinina), medida da pressão intraocular, e avaliação neurológica das extremidades inferiores, iniciados na ocasião do diagnóstico e repetidos anualmente ou com menor frequência de acordo com alterações eventualmente encontradas.

  • D.

    Esse rastreamento pode ser feito por meio da realização de fundoscopia, microalbuminúria/proteinúria, e avaliação neurológica das extremidades inferiores, iniciados 3 a 5 anos após o diagnóstico e repetidos anualmente ou com menor frequência de acordo com alterações eventualmente encontradas.

  • E.

    Esse rastreamento pode ser feito por meio da aferição da acuidade visual, microalbuminúria/proteinúria, e avaliação neurológica das extremidades inferiores, iniciados na ocasião do diagnóstico e repetidos anualmente independentemente de sintomas, uma vez que as complicações microvasculares são inicialmente assintomáticas.