Medicina Especialidade Geriatria

Texto III, para responder às questões 27 e 28.

João, setenta anos de idade, viúvo há cerca de dez anos, engenheiro aposentado, mora só, totalmente independente para atividades de vida diária e instrumental, apresenta história de longa data de hipertensão arterial e bloqueio do ramo direito de segundo grau, em uso de hidroclorotiazida e enalapril. Há dois meses, passou a apresentar tontura e teve três episódios de quedas, sendo medicado, naquela ocasião, em um serviço de pronto-atendimento, com flunarizina. Evoluiu com apatia, rigidez, bradicinesia, períodos de confusão mental, alucinações visuais recorrentes e delírios de perseguição. Negava história de doença psiquiátrica prévia ou abuso de drogas. Foi levado ao geriatra por seu filho. Ao exame, encontrava-se consciente, pressão arterial de 150 mmHg × 80 mmHg deitado e 110 mmHg × 60 mmHg em ortostatismo, bradicinesia e rigidez. Sua pontuação no miniexame do estado mental (Folstein, 1975) foi de 26 pontos.

Com relação à situação apresentada no texto, assinale a alternativa correta.

  • A.

    O fato de o paciente não ter tremor descarta o diagnóstico de parkinsonismo.

  • B.

    O fato de o paciente não ter tremor descarta o diagnóstico de parkinsonismo.

  • C.

    As quedas nesse paciente têm múltipla etiologia, e sua abordagem deve ser multidisciplinar.

  • D.

    Confirmando-se o diagnóstico de depressão, a melhor opção terapêutica é o uso de imipramina.

  • E.

    O paciente deve ser institucionalizado para se evitar nova queda.