Medicina Especialidade Geriatria

Sobre o diagnóstico clínico da doença de Alzheimer, segundo o NINCDS-ADRDA (NationalInstituteofNeurologic, CommunicativeDisordersandStroke- Alzheimer DiseaseandRelatedDisordersAsso -ciation), estão corretos os seguintes critérios:

I – Provável Doença de Alzheimer: demência estabelecida por exame clínico e documentada por Mini- MentalStateExamination (MMSE) ou Escala de Demência de Blessed ou outro exame similar, confirmado por testes neurosicológicos; déficit em duas ou mais áreas de cognição; progressiva piora da memória e de outras funções, sem distúrbio de consciência; início entre idades de 40 a 90 anos, mais frequentemente acima de 65 anos; e aus6encia de outras desordens sistêmicas ou cerebrais, que poderiam ser causas do déficit de memória e cognição progressivos.

II – Possível Doença de Alzheimer: presença de síndrome demencial, na ausência de outras anormalidades neurológicas, psiquiátricas ou sistêmicas suficientes para causar demência, porém, presença de variações no início, apresentação e curso clínico, ou presença de doença secundária sistêmica ou cerebral que poderiam ser a causa do quadro, mas não é considerada causa.

III – Diagnóstico definitivo: Critério clínico de Doença de Alzheimer com evidência histopatológica, obtida por biópsia ou autópsia.

  • A.

    I e II;

  • B.

    II e III;

  • C.

    I e III;

  • D.

    I, II e III.