Medicina Especialidade Geriatria

Texto para as questões de 40 a 43

Um paciente com noventa e cinco anos de idade, com demência de Alzheimer na fase grave, recebe atendimentos domiciliares regulares há mais de cinco anos e encontra-se acamado, com síndrome de fragilidade, osteoporose, doença do refluxo gastroesofágico e diabetes melito tipo 2. Faz uso de ácido acetilsalicílico 100 mg por dia, alendronato sódico 70 mg por semana, carbonato de cálcio 500 mg por dia, sinvastatina 10 mg por dia e aspartato de L-arginina 250 mg/dia. Na consulta anterior, a família reiterou a vontade de não mais levá-lo ao hospital se caso complicasse a doença, pois da última vez que isso ocorreu ele ficou internado na unidade de terapia intensiva por quase trinta dias. Após episódios de tosse produtiva e febre, o médico é chamado à residência e confirma o diagnóstico clínico de pneumonia. Não há sinais de hipoxemia evidentes, além de ter sido submetido à vacina pneumocócica polivalente há dois anos.

Com base no quadro clínico apresentado acima, a melhor conduta acerca dos cuidados paliativos para esse paciente é

  • A.

    a internação em unidade de terapia intensiva, diante da gravidade do caso.

  • B.

    o início do tratamento com antibiótico via oral em domicílio.

  • C.

    a aplicação de outra dose de vacina pneumocócica polivalente.

  • D.

    o aumento da dose de aspartato de L-arginina para 1g/dia, melhorando assim a resposta imune.

  • E.

    a internação hospitalar em enfermaria.