Medicina Especialidade Hemoterapia

Um paciente, com trinta anos de idade, é internado com quadro agudo de confusão mental flutuante, com progressão para coma, concomitante ao aparecimento de lesões purpúricas disseminadas em todo corpo. Os exames laboratoriais revelaram os seguintes resultados: LDH 2.400 UI/L, hemoglobina = 6,0 g/dL, leucócitos 9.500/mm3, plaquetas 20.000/mm3, tempo de protrombina (TAP) normal e tempo de tromboplastina parcialmente ativado (TTPA) normal. No sangue periférico, foram observados numerosos esquizócitos, acima de três esquistócitos por campo.

Nesse caso clínico, a principal hipótese diagnóstica e a conduta a ser adotada são, respectivamente,

  • A.

    púrpura trombocitopênica trombótica, uso de imunoglobulina.

  • B.

    púrpura trombocitopênica trombótica, plasmaferese terapêutica.

  • C.

    púrpura trombocitopênica imune, aspirado de medula óssea.

  • D.

    púrpura amegacariocítica, corticoide em altas doses.

  • E.

    anemia aplástica severa, transfusão de concentrado de plaquetas.