Medicina Especialidade Infectologia

A.J.S., 37 anos, ao ser consultado, refere tosse, febre e perda de 10 Kg nos últimos 90 dias. Seus sintomas iniciaram-se há cerca de 1 mês, com piora progressiva. Há 15 dias passou a apresentar tosse produtiva, sudorese noturna com escarro mucopurulento. Nega sangue no escarro. É alcoolista, fumante desde os 12 anos. Relata manter relações sexuais com várias parceiras sem uso de preservativo. Ao exame apresenta: peso = 66Kg, T= 37,8º C, FR= 20 ipm, PA= 110/70 mmHg, hipocorado. Ausculta com estertores de médias bolhas e sopro tubário na região infraclavicular direita. Não apresenta outras alterações ao exame físico. Traz consigo hemograma apresentando anemia leve normocrômica e normocítica. As demais séries encontram-se normais. VHS= 120 e PPD= 10 mm. Um RX de tórax apresentou infiltrado interstício alveolar em lobo superior direito com cavitação.

Em relação ao caso anterior, assinale a alternativa CORRETA:

  • A.

    Caso confirmada coinfecção HIV/Tb, a duração do tratamento para tuberculose pulmonar deve ser de 9 meses.

  • B.

    Caso o exame de escarro seja positivo para BAAR e a sorologia positiva para HIV, a apresentação de tuberculose pulmonar típica com cavitação indicará que o esquema ARV deve ser instituído imediatamente.

  • C.

    O tratamento para tuberculose não interfere na escolha da terapia antirretroviral.

  • D.

    Na coinfecção HIV/Tb, a terapia ARV deve ser instituída prontamente, independentemente da condição imunológica do paciente e da contagem de células CD4.

  • E.

    Existe indicação epidemiológica para prosseguir investigação diagnóstica com solicitação de triagem sorológica para sífilis, HIV e para as hepatites virais B e C.