Medicina Especialidade Intensiva

Uma criança recém-nascida de parto normal, do sexo masculino, pesando três quilos, a termo, Apgar 9 e 10, com bolsa rota no ato, sem intercorrências, recebeu alta para domicílio no segundo dia de vida, sem apresentar alterações clínicas. Sua amamentação era realizada exclusivamente no seio materno, com boa pega. A criança retornou à UTI neonatal no oitavo dia de vida, com quadro de sucção débil, vômitos, letargia, episódios convulsivos, saturação de 98% em ar ambiente. Como antecedentes gestacionais, citam-se: mãe de vinte e cinco anos de idade, G3 P2A1, com relato de aborto espontâneo com treze semanas de gestação e um bebê que morreu com uma semana de vida, em razão de problema respiratório.

Com base no caso clínico apresentado, a hipótese diagnóstica mais provável é

  • A.

    possível erro inato do metabolismo.

  • B.

    choque cardiogênico.

  • C.

    desidratação aguda por enterovirose.

  • D.

    choque séptico.

  • E.

    hipoglicemia por baixa ingesta.