Medicina Especialidade Medicina do Trabalho

O gerente de uma agência bancária vai ao serviço médico da empresa pedir remédios que o ajudem a dormir. Na consulta, afirma que a insônia terminal está tirando seu ânimo para o trabalho, influenciando negativamente sua produtividade e tirando a satisfação que sentia nas atividades cotidianas que até ali sempre haviam sido prazerosas. Sente-se permanentemente cansado e, sem apetite, vem perdendo muito peso. Diz que pela primeira vez na vida está vivendo essa situação, que vem acontecendo diariamente, há quase um mês. Informa também não abusar de substâncias e não ter problemas de tireoide. Questionado sobre o motivo de não ter procurado ajuda médica antes, explica que foi alertado por outros gerentes de que aquele não era o momento adequado para tirar uma licença médica, pois ele já se havia licenciado naquele ano, devido a uma mononucleose. Indagado sobre sua atual situação no trabalho, ele relata que há dois meses começou a cometer uma série de erros na execução de suas tarefas, causados pelo recebimento de dados incorretos de seus colegas, e que atrasou a entrega de alguns materiais que precisava preparar, devido à dificuldade de acesso à impressora, controlada por outro gerente. Comenta estar tendo dificuldades no trabalho em equipe porque suas sugestões e decisões vêm sendo contestadas sistematicamente, e seu trabalho sempre criticado de forma exagerada, tendo piorado ultimamente com sugestões de que ele estaria ficando maluco. Com essas situações, acabou perdendo a oportunidade de uma promoção, o que o levou a alguns conflitos com a esposa e a filha adolescente.

Essas informações durante a consulta indicam ao médico do trabalho que o diagnóstico do gerente é de um(a)
  • A. episódio depressivo maior, associado a uma situação de assédio moral.
  • B. transtorno de personalidade paranoide, desencadeado pela situação de fadiga.
  • C. transtorno de personalidade antissocial, articulado às dificuldades vividas na esfera familiar.
  • D. transtorno depressivo maior, grave, com características psicóticas, vinculado ao estresse no trabalho.
  • E. fobia social, associada à exposição em que vive no ambiente de trabalho.