Medicina Especialidade Nefrologia

Um rapaz com 17 anos de idade foi encaminhado para consulta com nefrologista por apresentar pressão arterial (PA) durante uma campanha de prevenção de doença renal de 170 mmHg (sistólica) e de 110 mmHg (diastólica), sendo totalmente assintomático. Ele é um jovem sedentário, afro-descendente, estudante do segundo grau e apresenta antecedentes familiares de hipertensão arterial importantes, sendo a mãe hipertensa crônica, medicada, e uma irmã mais velha também hipertensa. No dia da consulta, sua PA foi de 160 mmHg × 100 mmHg e em seu exame físico não foi constatado sopro abdominal, não existindo outras alterações dignas de nota. Os exames laboratoriais solicitados mostraram concentração de uréia = 40 mg/100 mL, de creatinina = 1,3 mg/dL, depuração de creatinina = 86 mL/min/1,73 m2 e microalbuminúria = 99 mg/24 h (VN: < 30 mg em 24 h). O ECG mostrou leve hipertrofia de VE e o FO foi compatível com retinopatia hipertensiva leve. O paciente foi medicado com a associação de um diurético tiazídico e um bloqueador de enzima de conversão. O nefrologista solicitou uma ultra-sonografia renal com doppler de artérias renais e solicitou retorno com o resultado do exame.

Com base nesse quadro clínico, julgue os próximos itens.

A existência de lesões em órgãos-alvo, como a retinopatia hipertensiva de grau leve, a hipertrofia do ventrículo esquerdo, a microalbuminúria e a discreta redução da depuração de creatinina caracterizam, nesse caso, hipertensão acelerada ou maligna.

  • C. Certo
  • E. Errado