Medicina Especialidade Neurologia

Paciente de 65 anos de idade, do sexo masculino, começa a apresentar quadro de dificuldade para subir escadas e se levantar, acompanhada de dores musculares. Refere que ao caminhar sua força muscular apresenta melhora, notadamente para subir escadas. Não apresenta diplopia, ptose ou dificuldade para engolir. Ao exame, apresenta quadro de tetraparesia, de predomínio proximal e nos membros inferiores. Seus reflexos miotáticos fásicos estão abolidos e na pesquisa da força da flexão dos músculos flexores dos dedos apresenta nítido incremento com a manutenção do movimento. Apresenta também queixa de sabor metálico na boca. Na Eletromiografia desse paciente, pode-se esperar

  • A.

    potencial de interferência paradoxal.

  • B.

    potencial de interferência rarefeito.

  • C.

    potencial de interferência paradoxal no esforço mínimo e potencial de interferência rarefeito no esforço máximo.

  • D.

    na estimulação nervosa repetitiva, decremento da resposta com baixas freqüências de estimulação e aumento da resposta com altas freqüências de estimulação.

  • E.

    na estimulação nervosa repetitiva, aumento da resposta com baixas freqüências de estimulação e decremento da resposta com altas freqüências de estimulação.