Medicina Especialidade Neurologia

Uma jovem senhora, portadora de enxaqueca desde a adolescência, teve súbita cefalalgia após coito, de intensidade jamais sentida. Tomou analgésicos em sua residência, sem sucesso. Após seis horas, foi ao pronto-socorro com a finalidade de tomar analgésico intravenoso. Enquanto aguardava atendimento, a cefaléia começou a piorar e a paciente iniciou náuseas e vômitos. Ao tomar conhecimento da história da paciente, o médico clínico aferiu-lhe a pressão arterial e prescreveu-lhe anti-hipertensivo, dipirona e metoclopramida. O marido da paciente, que a acompanhava, alertou que nunca a mulher tivera sintomas tão exuberantes. A paciente começou a ficar agitada e confusa, não permitindo a avaliação física.

Tendo como base o caso hipotético acima, assinale a opção que apresenta a patologia mais provável e o procedimento mais adequado à situação.

  • A.

    encefalite por neurolues — realizar a punção lombar para estudo do líquor

  • B.

    crise de enxaqueca com infarto migranoso — solicitar o doppler transcraniano

  • C.

    hemorragia subaracnóide — solicitar uma tomografia de crânio sem contraste

  • D.

    cefaléia pós-coito — sem necessidade de investigação complementar

  • E.

    meningite bacteriana — colher o líquor por meio de punção suboccipital