Medicina Especialidade Otorrinolaringologia

Uma paciente, com 67 anos de idade, vem apresentando paralisia facial periférica esquerda associada a otalgia severa ipsilateral associada a otorreia discreta de secreção fétida de início há uma semana. Nos últimos dias, começou a apresentar febre, rouquidão, disfagia, repetidos engasgos com aspiração e alterações respiratórias. É diabética e o último exame laboratorial revelou hemoglobina glicada = 8 mg/dl e glicemia = 380 mg/dl. A otoscopia revela tecido necrótico em conduto auditivo externo com odor fétido.

Nesse caso, o diagnóstico mais provável e a conduta mais apropriada são, respectivamente,

  • A.

    síndrome do forame jugular; antibioticoterapia tópica e sistêmica, debridamento do local, ressonância nuclear magnética de ossos temporais com contraste e, posteriormente, para controle do tratamento, cintilografia com gálio.

  • B.

    otite externa maligna; tratamento cirúrgico com mastoidectomia e drenagem de abscesso e cintilografia com gálio.

  • C.

    síndrome do forame jugular; tratamento cirúrgico com mastoidectomia e drenagem de abscesso, e cintilografia com gálio.

  • D.

    otite externa maligna; tratamento clínico com antibioticoterapia tópica e sistêmica, e cintilografia com gálio.

  • E.

    otite externa aguda e laringite aguda; antibioticoterapia tópica, AINES e debridamento do CAE.