Medicina Parte Geral

Um homem com 60 anos de idade foi atendido em sala de emergência, apresentando um quadro de palpitações taquicárdicas intensas, associadas a tonturas e sensação de escurecimento visual. O episódio se iniciou 2 horas antes, após ter consumido grande quantidade de bebida alcoólica destilada (aguardente). Referiu ser portador de hipertensão arterial, em tratamento irregular, e desconhecia outras doenças. Ao exame físico, observou-se paciente com sinais de embriaguez, sonolento, confuso, torporoso, dispnéico, com freqüência respiratória de 28 irpm, freqüência cardíaca de 150 bpm e pressão arterial de 85 mmHg × 45 mmHg. Apresentava também pulmões com estertores em terços inferiores de ambos hemitóraces, ritmo cardíaco taquicárdico irregular, em 3 tempos, com terceira bulha, sem sopros e com pulsos periféricos filiformes. O abdome estava livre, sem visceromegalias, com ruídos hidroaéreos presentes e normoativos. As extremidades não apresentavam edema ou lesões e havia cianose +/+4 e perfusão capilar lentificada. Foi realizado uma eletrocardiografia convencional, com 12 derivações, com derivação D2 longa (velocidade do papel = 25 mm/s e calibração de 1 cm = 1 mV), cujo eletrocardiograma é mostrado na figura abaixo.

Com base nas informações apresentadas no texto, que se refere a um caso clínico hipotético, julgue os itens que se seguem.

O ritmo de base observado no traçado eletrocardiográfico do paciente é o de flutter atrial.

  • C. Certo
  • E. Errado