Medicina Especialidade Pediatria

Menina de 9 anos de idade, com infecção urinária tratada aos 4 anos de idade, ultra-som de rins e vias urinárias normal na época, tem queixa de ardor quando urina, exame genital com hiperemia, sem secreções. É colhido, por jato intermediário, Urina I: densidade 1 025, pH 6,5, leucócitos 37 000, hemácias 15 000 e urocultura com crescimento de E. coli 80 000 UFC, com antibiograma sensível a amicacina, quinolonas e carbapenêmicos. Por isso, foi colhido novo exame que mostrou Urina I: densidade 1020, pH 6,2, leucócitos 68 000, hemácias 20 000 e urocultura sem crescimento. Como persistia com alterações de Urina I, foi colhido terceiro exame que mostrava densidade 1 030, pH 6, leucócitos 6 000, hemácias 2 000 e urocultura com E.coli 120 000 UFC, sensível a betalactâmicos, cotrimoxazol e cefalosporinas de 1.ª e 3.ª gerações. Trata-se provavelmente de

  • A.

    vulvovaginite simples tratável com creme de nistatina.

  • B.

    infecção urinária que deve ser tratada por 10 dias, segundo o antibiograma.

  • C.

    bacteriúria intermitente, devendo ser mantida profilaxia com furadantina 1mg/ Kg por 90 dias.

  • D.

    bacteriúria assintomática, orientar hábito intestinal, vestuário e higiene.

  • E. infecção urinária, será necessária nova coleta para indicação de tratamento pelas diferenças entre os antibiogramas anteriores.