Medicina Especialidade Pediatria

Um paciente, com quinze anos de idade, com leucemia linfoblástica aguda linhagem B está em tratamento com protocolo de indução de LLA de alto risco. No D+17 da QT, a asparginase é iniciada na dose de 10.000 unidades/dia. Dos exames pré-inicio de tratamento, incluíram apenas: hemograma completo, ureia, creatinina, TGO, TGP e bilirrubina total e frações. Na quinta aplicação da asparginase, o paciente evoluiu com crise convulsiva tônico-clônico generalizadas, confusão mental e fraqueza muscular. Realizou TAC de crânio, que evidenciou trombose do seio venoso sagital.

Considerando a situação acima apresentada, assinale a opção correta.

  • A.

    A investigação de trombofilia hereditária é mandatória nos pacientes sem história familiar positiva de trombofilia que irão utilizar asparginase.

  • B.

    A trombose relacionada ao uso de asparginase ocasiona consumo de fator XII.

  • C.

    A trombose sofrida pelo paciente não deve ser relacionada ao uso da asparginase, pois a única complicação relacionada a esta medicação é pancreatite.

  • D.

    Nesse caso, o uso de heparina dose terapêutica é completamente contraindicado, independentemente da contagem de plaquetas.

  • E.

    Trombose, hemorragia e pancreatite são complicações descritas na utilização de asparginase. Por isso, a mensuração dos níveis de fibrinogênio e amilase/lípase é recomendada durante sua utilização.