Questões de Concurso de Pneumologia - Medicina

Ver outros assuntos dessa disciplina Navegar questão a questão

Questão 638413

Secretaria de Estado da Saúde - ES (SESA/ES) 2013

Cargo: Médico - Área Pneumologia / Questão 31

Banca: Centro de Seleção e de Promoção de Eventos UnB (CESPE)

Nível: Superior

Texto para as questões de 31 a 33

Um homem com cinquenta e cinco anos de idade, procedente do estado do Tocantins, onde trabalhava como agricultor, relatou dispneia progressiva, iniciada havia cinco meses, associada à tosse pouco produtiva, com escarro amarelado, cerca de 50 ml ao dia. O paciente relatou tabagismo de 35 maços/ano. Além da dispneia, o exame físico evidenciou emagrecimento, leve cianose, crepitações bilaterais e sibilância discreta, sem outros achados. A radiografia do tórax mostrou opacidades peri-hilares bilaterais com certa simetria, tipo retículo-nodular, que ocupavam campos pulmonares médios e inferiores, além de uma pequena lesão cavitária. A biópsia revelou inflamação e fibrose, formação de granulomas e elementos ovalados tipo Mickey Mouse.

Diante do caso clínico acima apresentado, o provável diagnóstico desse paciente é de

  • A.

    pneumonia de hipersensibilidade crônica.

  • B.

    tuberculose pulmonar.

  • C.

    micobacteriose atípica.

  • D.

    paracoccidioidomicose.

  • E.

    histoplasmose.

Questão 638414

Secretaria de Estado da Saúde - ES (SESA/ES) 2013

Cargo: Médico - Área Pneumologia / Questão 32

Banca: Centro de Seleção e de Promoção de Eventos UnB (CESPE)

Nível: Superior

Texto para as questões de 31 a 33

Um homem com cinquenta e cinco anos de idade, procedente do estado do Tocantins, onde trabalhava como agricultor, relatou dispneia progressiva, iniciada havia cinco meses, associada à tosse pouco produtiva, com escarro amarelado, cerca de 50 ml ao dia. O paciente relatou tabagismo de 35 maços/ano. Além da dispneia, o exame físico evidenciou emagrecimento, leve cianose, crepitações bilaterais e sibilância discreta, sem outros achados. A radiografia do tórax mostrou opacidades peri-hilares bilaterais com certa simetria, tipo retículo-nodular, que ocupavam campos pulmonares médios e inferiores, além de uma pequena lesão cavitária. A biópsia revelou inflamação e fibrose, formação de granulomas e elementos ovalados tipo Mickey Mouse.

De acordo com o caso clínico acima apresentado, assinale a opção correta.

  • A.

    Há micobacteriose atípica apenas em pacientes infectados pelo HIV.

  • B.

    A presença de fibrose, no exame histopatológico, afasta o diagnóstico de infecção bacteriana ou fúngica.

  • C.

    A presença de lavado bronco-alveolar negativo para BAAR afasta o diagnóstico de tuberculose.

  • D.

    A sorologia para paracoccidioidomicose apresenta baixa especificidade.

  • E.

    O isolamento de Histoplasma sp em lavado bronco-alveolar é critério suficiente para histoplasmose.

Questão 638415

Secretaria de Estado da Saúde - ES (SESA/ES) 2013

Cargo: Médico - Área Pneumologia / Questão 33

Banca: Centro de Seleção e de Promoção de Eventos UnB (CESPE)

Nível: Superior

Texto para as questões de 31 a 33

Um homem com cinquenta e cinco anos de idade, procedente do estado do Tocantins, onde trabalhava como agricultor, relatou dispneia progressiva, iniciada havia cinco meses, associada à tosse pouco produtiva, com escarro amarelado, cerca de 50 ml ao dia. O paciente relatou tabagismo de 35 maços/ano. Além da dispneia, o exame físico evidenciou emagrecimento, leve cianose, crepitações bilaterais e sibilância discreta, sem outros achados. A radiografia do tórax mostrou opacidades peri-hilares bilaterais com certa simetria, tipo retículo-nodular, que ocupavam campos pulmonares médios e inferiores, além de uma pequena lesão cavitária. A biópsia revelou inflamação e fibrose, formação de granulomas e elementos ovalados tipo Mickey Mouse.

Ainda com relação ao quadro clínico apresentado, é correto afirmar que a conduta mais adequada a esse caso é

  • A.

    administrar rifampicina, etambutol, isoniazida e pirazinamida.

  • B.

    administrar itraconazol 100 mg, duas vezes ao dia, por, no mínimo, seis meses.

  • C.

    coletar lavado bronco-alveolar para culturas de micobactérias e fungos.

  • D.

    repetir a biópsia, separando-se fragmento para culturas.

  • E.

    iniciar a corticoterapia imediatamente com prednisona 60 mg, associada à profilaxia com isoniazida.

Questão 638416

Secretaria de Estado da Saúde - ES (SESA/ES) 2013

Cargo: Médico - Área Pneumologia / Questão 34

Banca: Centro de Seleção e de Promoção de Eventos UnB (CESPE)

Nível: Superior

Acerca da tuberculose no paciente portador do vírus HIV, assinale a opção correta.

  • A.

    Há baixa sensibilidade na identificação de BAAR no escarro. Recomenda-se, portanto, o tratamento a partir de critérios radiológicos.

  • B.

    No Brasil, o índice de resistência a rifampicina é acima de 30%.

  • C.

    O tratamento intermitente com três tomadas semanais nunca deve ser empregado.

  • D.

    A forma extrapulmonar mais frequente é a pleural.

  • E.

    A formação de cavidades ocorre, usualmente, em pacientes com número de células CD4 mais elevado.

Questão 638417

Secretaria de Estado da Saúde - ES (SESA/ES) 2013

Cargo: Médico - Área Pneumologia / Questão 35

Banca: Centro de Seleção e de Promoção de Eventos UnB (CESPE)

Nível: Superior

Texto para as questões de 35 a 37

Uma mulher com sessenta e seis anos de idade é portadora de doença pulmonar obstrutiva crônica, com evolução clínica estável no momento da avaliação, sem critérios para cor pulmonale. A gasometria evidenciou PaO2 = 51 mmHg; PaCO2 = 53 mmHg; pH = 7,38; BE + = 5,7. Após 30 minutos sob oxigenoterapia por cateter nasal, a 1,5 L/minuto, os sintomas da paciente permaneceram sem alterações.

Com base no caso clínico acima apresentado, é correto afirmar que o motivo do aumento da hipercapnia é

  • A.

    a redistribuição do fluxo sanguíneo para áreas mal ventiladas.

  • B.

    a toxicidade pulmonar pelo oxigênio.

  • C.

    a inibição do estímulo à ventilação dada pela hipoxemia.

  • D.

    o surgimento de uma zona de alto quociente V/Q após a oxigenoterapia.

  • E.

    o aumento do débito cardíaco e do fluxo sanguíneo pulmonar total.

Questão 638418

Secretaria de Estado da Saúde - ES (SESA/ES) 2013

Cargo: Médico - Área Pneumologia / Questão 36

Banca: Centro de Seleção e de Promoção de Eventos UnB (CESPE)

Nível: Superior

Texto para as questões de 35 a 37

Uma mulher com sessenta e seis anos de idade é portadora de doença pulmonar obstrutiva crônica, com evolução clínica estável no momento da avaliação, sem critérios para cor pulmonale. A gasometria evidenciou PaO2 = 51 mmHg; PaCO2 = 53 mmHg; pH = 7,38; BE + = 5,7. Após 30 minutos sob oxigenoterapia por cateter nasal, a 1,5 L/minuto, os sintomas da paciente permaneceram sem alterações.

Para o caso clínico acima apresentado, a conduta mais adequada é

  • A.

    administrar a almitrina.

  • B.

    evitar a oxigenoterapia, pois a hipercapnia é muito mais deletéria que a hipoxemia.

  • C.

    evitar a oxigenoterapia e aumentar a dose dos broncodilatadores.

  • D.

    manter a oxigenoterapia com o objetivo de manter o nível mínimo da PaCO2, desde que a PaO2 se mantenha em pelo menos 55 mmHg.

  • E.

    aumentar a oxigenoterapia, facilitando o decaimento da pressão da artéria pulmonar.

Questão 638419

Secretaria de Estado da Saúde - ES (SESA/ES) 2013

Cargo: Médico - Área Pneumologia / Questão 37

Banca: Centro de Seleção e de Promoção de Eventos UnB (CESPE)

Nível: Superior

Texto para as questões de 35 a 37

Uma mulher com sessenta e seis anos de idade é portadora de doença pulmonar obstrutiva crônica, com evolução clínica estável no momento da avaliação, sem critérios para cor pulmonale. A gasometria evidenciou PaO2 = 51 mmHg; PaCO2 = 53 mmHg; pH = 7,38; BE + = 5,7. Após 30 minutos sob oxigenoterapia por cateter nasal, a 1,5 L/minuto, os sintomas da paciente permaneceram sem alterações.

Ainda de acordo com o caso clínico acima apresentado, assinale a opção que em que é apresentada a compreensão da fisiopatologia da insuficiência respiratória na DPOC.

  • A.

    cálculo da diferença alvéolo-arterial de O2

  • B.

    espirometria e volumes pulmonares

  • C.

    técnica de eliminação de múltiplos gases inertes

  • D.

    teste de difusão pelo monóxido de carbono (DCO)

  • E.

    gasometria arterial

Questão 638420

Secretaria de Estado da Saúde - ES (SESA/ES) 2013

Cargo: Médico - Área Pneumologia / Questão 38

Banca: Centro de Seleção e de Promoção de Eventos UnB (CESPE)

Nível: Superior

Assinale a opção que indica o fator que reduziria a PaCO2, caso o volume/minuto permaneça constante.

  • A.

    aumento da capacidade residual funcional

  • B.

    aumento do volume corrente

  • C.

    aumento da frequência respiratória

  • D.

    aumento da FIO2

  • E.

    inalação de gás hélio

Questão 638421

Secretaria de Estado da Saúde - ES (SESA/ES) 2013

Cargo: Médico - Área Pneumologia / Questão 39

Banca: Centro de Seleção e de Promoção de Eventos UnB (CESPE)

Nível: Superior

Assinale a opção em que são apresentadas as variáveis empregadas nas equações brasileiras de predição da faixa de normalidade do volume expirado no 1º segundo (VEF1).

  • A.

    superfície corporal, idade e sexo

  • B.

    estatura, peso, raça e idade

  • C.

    sexo, idade e estatura

  • D.

    idade, peso e superfície corporal

  • E.

    raça, idade, sexo e peso

Questão 638422

Secretaria de Estado da Saúde - ES (SESA/ES) 2013

Cargo: Médico - Área Pneumologia / Questão 40

Banca: Centro de Seleção e de Promoção de Eventos UnB (CESPE)

Nível: Superior

Assinale a opção em que são apresentadas as causas de bronquiectasias.

  • A.

    deficiência de anticorpos, síndrome dos cílios imóveis, asma brônquica

  • B.

    DPOC, obstrução de via aérea por corpo estranho, micobacteriose

  • C.

    colagenose, linfoma de Hodgkin, tumor carcinoide

  • D.

    imunodeficiência, bócio mergulhante, síndrome de Kartagener

  • E.

    síndrome da unha amarela, fibrose cística, aspergilose broncopulmonar alérgica