Questões de Concurso de Pneumologia - Medicina

Ver outros assuntos dessa disciplina Navegar questão a questão

Questão 888923

Consórcio Público Interfederativo de Saúde da Região de Jequié - BA (POLICLÍNICA/BA) 2017

Cargo: Médico Pneumologista / Questão 26

Banca: Fundação CEFETBAHIA / Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia (CEFETBAHIA)

Nível: Superior

Sobre os achados ao exame físico de um paciente com Pneumonia adquirida na comunidade (PAC) que complicou com extenso derrame pleural (DP) opacificando todo o Hemitorax direito (HTD), analise as assertivas e identifique com V as verdadeiras e com F as falsas.

( ) A ausculta o murmúrio vesicular deverá estar reduzido em HTD.

( ) A ausculta de atrito pleural fala contra a presença de derrame pleural.

( ) A percussão da coluna deverá se apresentar maciça na presença do DP.

( ) Na palpação torácica, tem-se FTV aumentado inicialmente e, após o derrame pleural, estará reduzido.

( ) Na inspeção, tem-se uso de musculatura acessória de pescoço e tórax a depender da gravidade da apresentação clínica.

A alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo, é

  • A. V F V V V
  • B. V F V F V
  • C. V V F F F
  • D. F F V V F
  • E. F V F V V

Questão 888924

Consórcio Público Interfederativo de Saúde da Região de Jequié - BA (POLICLÍNICA/BA) 2017

Cargo: Médico Pneumologista / Questão 27

Banca: Fundação CEFETBAHIA / Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia (CEFETBAHIA)

Nível: Superior

Homem de 75 anos, há 20 anos com tosse seca, sibilância e dispneia progressiva. Ocasionalmente tem tosse produtiva com expectoração mucóide. Em uso de aerossol com a associação salbutamol e ipratrópio. Ex-fumante há três anos, tendo fumado dos 12 aos 72 anos de idade (90 anos/maço), pai falecido com câncer gástrico. Realizou a TC de tórax nº 1, conforme figura 1.

Em relação às TC de tórax apresentadas nas figuras 1 e 2, é correto afirmar que

  • A. os nódulos, conceitualmente, têm mais de 4 cm de diâmetro.
  • B. os nódulos pulmonares menores que 10mm têm maior chance de serem benignos.
  • C. os nódulos pulmonares múltiplos falam contra doença metastática.
  • D. os contornos irregulares ou lobulados de uma massa falam a favor de lesão benigna.
  • E. a presença de calcificação difusa no nódulo indicam a presença de nódulo maligno e o médico deveria ter biopsiado a lesão desde a primeira TC realizada.

Questão 888925

Consórcio Público Interfederativo de Saúde da Região de Jequié - BA (POLICLÍNICA/BA) 2017

Cargo: Médico Pneumologista / Questão 28

Banca: Fundação CEFETBAHIA / Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia (CEFETBAHIA)

Nível: Superior

Paciente de 67 anos, grande fumante, hipertenso, apresenta-se em consulta com Pneumologista para avaliação pré-operatória para Lobectomia, decorrente de neoplasia de pulmão. No momento está assintomático, em uso regular de Tiotrópio, Budesonida+formoteral e Salbutamol de resgate. O raio-x de tórax mostra massa tumoral apical à esquerda. Espirometria com Leve DVO sem resposta ao BD. Eletrocardiograma (ECG) com alteração difusa da repolarização ventricular. Sobre esse caso, analise as assertivas e identifique com V as verdadeiras e com F as falsas.

( ) A DPOC estável não se configura como fator de risco para complicações pulmonares pósoperatórias.

( ) As complicações pulmonares relacionadas a procedimentos cirúrgicos podem ser classificadas, de acordo com seu potencial de morte.

( ) Pacientes com IMC maior ou igual a 40kg/m2 têm risco aumentado de tromboembolismo e infecção de ferida operatória quando comparados aos eutróficos.

( ) As cirurgias torácicas e abdominais altas são os procedimentos não cardíacos com o maior risco de complicações pulmonares pós-operatórios.

( ) Na avaliação do risco pulmonar pré-operatório, devem-se levar em conta as condições clínicas do paciente, as características e o caráter da cirurgia (urgência x eletiva) e a técnica anestésica proposta.

A alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo, é

  • A. F V V V V
  • B. V F F V V
  • C. V V V F F
  • D. F V F F V
  • E. FF F V F

Questão 888926

Consórcio Público Interfederativo de Saúde da Região de Jequié - BA (POLICLÍNICA/BA) 2017

Cargo: Médico Pneumologista / Questão 29

Banca: Fundação CEFETBAHIA / Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia (CEFETBAHIA)

Nível: Superior

Paciente de 55 anos queixa-se de dispnéia ao menor esforço como trocar de roupa (MRC: 5) há um ano. Tem dificuldade em sair de casa. Episodicamente tem chiado no peito, tosse produtiva purulenta e astenia quando em contacto com poeira ou odores fortes. Fuma desde os 12 anos, cerca de 30 cigarros ao dia. Já esteve internado, nos últimos dois anos, cinco vezes, por estes mesmos sintomas. Acha que sua qualidade de vida tem piorado nos últimos três meses. Tem história de Asma na infância e alergia a dipirona e paracetamol. Ao exame, apresentava-se taquipneico, usando musculatura acessória do pescoço; pele com lesões que sugerem dermatite atópica em flexura dos braços; Aumento do diâmetro antero-posterior do tórax, FTV e MV reduzidos, com sibilos esparsos à ausculta respiratória; Bulhas cardíacas hipofonéticas; abdome com hepatomegalia discreta; edema +/4+ de membros inferiores. Raio-x de tórax evidencia hiperinsuflação pulmonar. Espirometria evidencia VEF1/CVF pós-BD: 0,55 , VEF1 pré-BD: 700ml (70% do previsto) e VEF1 pós-BD: 1100ml (com ganho de 13%).

Diante desse caso, a conduta mais indicada é:

  • A. acompanhamento ambulatorial, CS e LAMA.
  • B. acompanhamento ambulatorial, CS, CI e LABA.
  • C. internamento hospitalar, CS, CI, BD de curta duração e LABA.
  • D. internamento hospitalar, CI e LABA (Broncodilatador de ação longa).
  • E. corticoides sitemico, Broncodilatador (BD) de demanda e cortidoide inalatório (CI).

Questão 888927

Consórcio Público Interfederativo de Saúde da Região de Jequié - BA (POLICLÍNICA/BA) 2017

Cargo: Médico Pneumologista / Questão 30

Banca: Fundação CEFETBAHIA / Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia (CEFETBAHIA)

Nível: Superior

Jonas, 67 anos, apresenta tosse produtiva com escarro purulento e febre há três dias. É hipertenso, diabético e portador de DPOC. Ficou internado há 60 dias por conta de infecção respiratória. Ao exame físico, estava em regular estado geral, hidratado, corado, dispneico, com facies de dor. FC 130bpm, FR 38 ipm, PA=100x70 mmHg Sat.O2: 90% em ar ambiente. Ap.rep: maciez a percussão de base direita, murmúrio vesicular diminuído em base direita, presença de crépitos em 1/3 médio de hemitórax direito.

A conduta mais adequada, nesse caso, é tratamento

  • A. ambulatorial, hidratação oral e Quinolona.
  • B. em Enfermaria, Hidratação, Azitromicina e Cefalosporina.
  • C. em Enfermaria, Hidratação, Oxigenioterapia e Carbapenemico.
  • D. em UTI, Hidratação vigorosa, ventilação mecânica e Linezolida.
  • E. em UTI, Hidratação, Oxigenioterapia e Cefalosporina de primeira geração.

Questão 638413

Secretaria de Estado da Saúde - ES (SESA/ES) 2013

Cargo: Médico - Área Pneumologia / Questão 31

Banca: Centro de Seleção e de Promoção de Eventos UnB (CESPE)

Nível: Superior

Texto para as questões de 31 a 33

Um homem com cinquenta e cinco anos de idade, procedente do estado do Tocantins, onde trabalhava como agricultor, relatou dispneia progressiva, iniciada havia cinco meses, associada à tosse pouco produtiva, com escarro amarelado, cerca de 50 ml ao dia. O paciente relatou tabagismo de 35 maços/ano. Além da dispneia, o exame físico evidenciou emagrecimento, leve cianose, crepitações bilaterais e sibilância discreta, sem outros achados. A radiografia do tórax mostrou opacidades peri-hilares bilaterais com certa simetria, tipo retículo-nodular, que ocupavam campos pulmonares médios e inferiores, além de uma pequena lesão cavitária. A biópsia revelou inflamação e fibrose, formação de granulomas e elementos ovalados tipo Mickey Mouse.

Diante do caso clínico acima apresentado, o provável diagnóstico desse paciente é de

  • A.

    pneumonia de hipersensibilidade crônica.

  • B.

    tuberculose pulmonar.

  • C.

    micobacteriose atípica.

  • D.

    paracoccidioidomicose.

  • E.

    histoplasmose.

Questão 638414

Secretaria de Estado da Saúde - ES (SESA/ES) 2013

Cargo: Médico - Área Pneumologia / Questão 32

Banca: Centro de Seleção e de Promoção de Eventos UnB (CESPE)

Nível: Superior

Texto para as questões de 31 a 33

Um homem com cinquenta e cinco anos de idade, procedente do estado do Tocantins, onde trabalhava como agricultor, relatou dispneia progressiva, iniciada havia cinco meses, associada à tosse pouco produtiva, com escarro amarelado, cerca de 50 ml ao dia. O paciente relatou tabagismo de 35 maços/ano. Além da dispneia, o exame físico evidenciou emagrecimento, leve cianose, crepitações bilaterais e sibilância discreta, sem outros achados. A radiografia do tórax mostrou opacidades peri-hilares bilaterais com certa simetria, tipo retículo-nodular, que ocupavam campos pulmonares médios e inferiores, além de uma pequena lesão cavitária. A biópsia revelou inflamação e fibrose, formação de granulomas e elementos ovalados tipo Mickey Mouse.

De acordo com o caso clínico acima apresentado, assinale a opção correta.

  • A.

    Há micobacteriose atípica apenas em pacientes infectados pelo HIV.

  • B.

    A presença de fibrose, no exame histopatológico, afasta o diagnóstico de infecção bacteriana ou fúngica.

  • C.

    A presença de lavado bronco-alveolar negativo para BAAR afasta o diagnóstico de tuberculose.

  • D.

    A sorologia para paracoccidioidomicose apresenta baixa especificidade.

  • E.

    O isolamento de Histoplasma sp em lavado bronco-alveolar é critério suficiente para histoplasmose.

Questão 638415

Secretaria de Estado da Saúde - ES (SESA/ES) 2013

Cargo: Médico - Área Pneumologia / Questão 33

Banca: Centro de Seleção e de Promoção de Eventos UnB (CESPE)

Nível: Superior

Texto para as questões de 31 a 33

Um homem com cinquenta e cinco anos de idade, procedente do estado do Tocantins, onde trabalhava como agricultor, relatou dispneia progressiva, iniciada havia cinco meses, associada à tosse pouco produtiva, com escarro amarelado, cerca de 50 ml ao dia. O paciente relatou tabagismo de 35 maços/ano. Além da dispneia, o exame físico evidenciou emagrecimento, leve cianose, crepitações bilaterais e sibilância discreta, sem outros achados. A radiografia do tórax mostrou opacidades peri-hilares bilaterais com certa simetria, tipo retículo-nodular, que ocupavam campos pulmonares médios e inferiores, além de uma pequena lesão cavitária. A biópsia revelou inflamação e fibrose, formação de granulomas e elementos ovalados tipo Mickey Mouse.

Ainda com relação ao quadro clínico apresentado, é correto afirmar que a conduta mais adequada a esse caso é

  • A.

    administrar rifampicina, etambutol, isoniazida e pirazinamida.

  • B.

    administrar itraconazol 100 mg, duas vezes ao dia, por, no mínimo, seis meses.

  • C.

    coletar lavado bronco-alveolar para culturas de micobactérias e fungos.

  • D.

    repetir a biópsia, separando-se fragmento para culturas.

  • E.

    iniciar a corticoterapia imediatamente com prednisona 60 mg, associada à profilaxia com isoniazida.

Questão 888928

Consórcio Público Interfederativo de Saúde da Região de Jequié - BA (POLICLÍNICA/BA) 2017

Cargo: Médico Pneumologista / Questão 31

Banca: Fundação CEFETBAHIA / Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia (CEFETBAHIA)

Nível: Superior

Paciente de 66 anos, masculino, deseja parar de fumar. Tabagista desde os 16 anos, inicialmente fumava 10 cigarros ao dia. Há 30 anos fuma 35 cigarros ao dia. O primeiro cigarro entre 30 e 60 minutos após acordar e é o que traz mais prazer. Fuma mais pela manhã e não fuma quando está doente. Não fuma em locais proibidos. Já tentou parar de fumar por três vezes sem êxito. Ficou um máximo de quatro meses sem fumar. Voltou a fumar devido à insônia, ao ganho de peso, à tristeza e à irritação. Tem medo de não conseguir agora. O cigarro diminui o estresse. Se restringe a eventos sociais familiares por conta do preconceito da sociedade. IS: Apetite aumentado atribuído à ansiedade e ao estresse. HV: Etilismo desde os 15 anos, atualmente usa 10 a 15 cervejas por dia no final de semana, com os amigos. Fuma mais nestes momentos. AM: IAM há 6 meses. AF: pai falecido de câncer de laringe e irmã com depressão há vários anos. Ao exame físico: Paciente ansioso, torce as mãos com frequência. Ativo e auto-orientado, corado. PA: 140x90 mmHg, FC:100 bpm, FR: 21 bpm; Restante do exame normal.

Sobre esse caso, analise as assertivas e identifique com V as verdadeiras e com F as falsas.

( ) O estágio motivacional deste paciente é o contemplativo.

( ) A prevalência de depressão é maior entre os fumantes mais dependentes.

( ) São sintomas da síndrome de abstinência à nicotina: insônia, tristeza e irritação

( ) São necessárias entre cinco e oito tentativas para a completa abstenção do tabagismo.

( ) O resultado do teste de dependência à nicotina desse paciente é seis, o que mostra elevado grau de dependência à nicotina.

A alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo, é

  • A. V V F V V
  • B. V F F F V
  • C. V V V F F
  • D. F F V F F
  • E. F V V V V

Questão 888929

Consórcio Público Interfederativo de Saúde da Região de Jequié - BA (POLICLÍNICA/BA) 2017

Cargo: Médico Pneumologista / Questão 32

Banca: Fundação CEFETBAHIA / Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia (CEFETBAHIA)

Nível: Superior

Paciente de 65 anos, com diagnóstico prévio de DPOC, dá entrada na emergência lúcido e orientado, com queixa de dispneia intensa e sinais de infecção respiratória. Tentado inicialmente VNI, mas o plantonista pensa que poderá evoluir para necessidade de ventilação invasiva (VMI).

Sobre esse caso clínico, é correto afirmar que

  • A. a VNI não é a primeira indicação.
  • B. a indicação de VMI, nesse caso, é preventiva.
  • C. a VMI permite reduzir a hiperinsuflação pulmonar.
  • D. o volume minuto deve ser ajustado para regularizar a PaCO2 e não o pH.
  • E. deve-se iniciar a FIO2 de forma protocolar, sem levar em conta a gasometria do paciente.