Medicina Especialidade Pneumologia

Um paciente com trinta e três anos de idade apresenta asma brônquica desde a infância. Os sintomas de chiado, tosse e dispneia são diários a despeito do uso de corticoide inalado e broncodilatadores contínuos. Sua espirometria evidencia capacidade vital forçada (CVF) de 93%, volume expirado no 1.º segundo (VEF1) de 55% e índice VEF1/CVF de 59%.

Com base nesse caso clínico, é correto afirmar que a classificação da asma e do distúrbio espirométrico, nessa situação, é

  • A.

    asma grave e distúrbio ventilatório obstrutivo moderado.

  • B.

    asma leve persistente e distúrbio ventilatório obstrutivo leve.

  • C.

    asma moderada e distúrbio ventilatório obstrutivo moderado.

  • D.

    asma moderada e distúrbio ventilatório obstrutivo grave.

  • E.

    asma grave e distúrbio ventilatório obstrutivo grave.