Medicina Especialidade Proctologia

Paciente do sexo feminino, 66 anos de idade, refere o início da doença há cerca de cinco dias com dor em fossa ilíaca esquerda, de caráter contínuo, de média intensidade e que piorava com a mudança de decúbito. Entretanto, informa que há aproximadamente 30 dias vem apresentando desconforto em fossa ilíaca esquerda. Evoluiu com o agravamento da dor e o aparecimento de náuseas, febre, calafrios, disúria e urgência miccional, o que a fez procurar atendimento médico. O exame revelou paciente com fácies de sofrimento agudo, algo desidratada, taquicárdica (104 bpm) e febril (38,2°C). A palpação do quadrante inferior esquerdo revela dor intensa com sinais de irritação peritoneal além da presença de tumor de limites mal definidos em fossa ilíaca esquerda. O toque retal identifica abaulamento doloroso da parede anterior do reto. Realizou tomografia computadorizada que evidenciou abscesso pericólico de aproximadamente 10 cm de diâmetro, localizado em fossa ilíaca esquerda. Qual o tratamento preferencial para a paciente em questão?

  • A.

    drenagem percutânea guiada por ultra-sonografia ou tomografia computadorizada, uso de antibiótico intravenoso seguido de sigmoidectomia eletiva pelo menos seis semanas após resolução do processo infeccioso

  • B.

    drenagem por laparotomia complementada no mesmo tempo operatório pela sigmoidectomia com reconstrução primária do trânsito sem colostomia de proteção associada ao uso de antibiótico intravenoso

  • C.

    drenagem por laparotomia complementada pela operação de Hartmann associada ao uso de antibiótico intravenoso

  • D.

    drenagem por laparotomia complementada no mesmo tempo operatório pela sigmoidectomia com reconstrução primária do trânsito com colostomia de proteção associada ao uso de antibiótico intravenoso

  • E.

    drenagem por videolaparoscopia complementada pela sigmoidectomia quatro semanas após o procedimento inicial