Medicina Especialidade Psiquiatria

Um garoto de 10 anos foi trazido para avaliação pela mãe porque havia um longo histórico de reclamações escolares: “ não presta atenção” ; “ metese em tudo, sem ser chamado” , “ não adianta elogiar nem criticar; ele não muda!” . Tinha movimentos impulsivos e pouca destreza, e acabava tendo fama de “ estabanado” , “ desastrado” ou “ descoordenado” porque quebrava objetos, sem querer. Depois ficava mal e “ sem graça” . A mãe ficava incomodada porque ele tinha umas crises de “ birra” , em público. O médico prescreveu metilfenidato 20mg ao dia. Após cerca de 06 dias de uso da medicação, o paciente ficou mais agitado, com auto e heteroagressividade, dizia coisas sem nexo, o pensamento ora era acelerado, ora tinha períodos de confusão mental (que variava ao longo do dia); não comia, nem dormia mais. Foi levado ao Pronto Atendimento no meio da noite. Qual é a hipótese diagnóstica e a conduta mais adequada?

  • A.

    “Delirium” por causa tóxica exógena, retirada do metilfenidato.

  • B.

    Transtorno psicótico induzido por metilfenidato, internar em hospitaldia.

  • C.

    Transtorno afetivo bipolar, fase maníaca – associar carbonato de lítio.

  • D.

    Episódio hipomaníaco, associar neuroléptico.

  • E.

    Primeiro surto de esquizofrenia paranóide.