Medicina Especialidade Psiquiatria

Uma senhora de 85 anos, portadora de diabetes mellitus e hipertensão, acorda desorientada no tempo e espaço, com flutuação do nível de consciência e agitada, sendo que estava bem até o dia anterior. A mesma relata que está vendo o marido falecido há alguns anos e que veio buscála. Não consegue ficar parada no lugar, evacua e defeca nas roupas, sua urina está escura e com odor fétido. Apresentou um pico febril de 39 °C ao longo do dia. Sua mãe faleceu aos 90 anos com Demência de Alzheimer e a própria paciente apresentou quadro depressivo aos 40 anos, remitido com tratamento clínico na ocasião. O provável diagnóstico e conduta terapêutica são:

  • A.

    Demência de Alzheimer de início tardio (acima de 80 anos) devido ao histórico familiar e a conduta terapêutica é antipsicótico de alta potência (como o haloperidol ou a risperidona) e inibidores da acetilcolinesterase.

  • B.

    Demência Vascular visto que a paciente apresenta fatores de risco para doença cerebro-isquêmica e a conduta é internação em unidade de terapia intensiva a fim de avaliar a extensão da lesão.

  • C.

    Delirium secundário à condição médica geral, provavelmente a um quadro de infecção ou descompensação metabólica devido ao início abrupto e acompanhado de febre. É necessário a realização de exames laboratoriais para detecção do agente causal (infecção, desidratação, alteração glicêmica) e correção dos parâmetros clínicos alterados, evitando-se inicialmente o uso de medicações com efeito sedativo.

  • D.

    Depressão recorrente com atual episódio psicótico, devendo-se optar por antipsicóticos de rápida ação e sedativo para controle da agressividade.

  • E.

    Demência frontotemporal que cursa com súbita mudança comportamental, desinibição e sintomas psicóticos, sendo o tratamento de escolha a risperidona ou haloperidol.