Medicina Especialidade Psiquiatria

Paciente do sexo feminino, 61 anos, aposentada. Há 1,5 anos, começou a apresentar apatia crescente, perseveração de frases e idéias. Há 8 meses, iniciou quadro de piora para falar, com redução da produção verbal, latência aumentada para resposta, bradilalia. Não tem interesse na realização das tarefas domésticas e, ao mesmo tempo, apresenta traços obsessivos relacionados à limpeza de certos móveis. Descuido da higiene pessoal, exibindo hiperoralidade com preferência por alimentos doces, além de manipular o conteúdo das lixeiras, recolhendo restos de comida e consumindo-os. Dá gargalhadas sem motivos. Nos últimos dias, evoluiu com incontinência urinária e fecal, com redução da produção verbal. Família nega diabetes melitus ou doença coronariana. Sorologias para Lues, HIV e hepatites virais negativas. HAS controlada por atenolol e hidroclorotiazida. Tomando por base os dados acima, a hipótese diagnóstica mais provável é:

  • A.

    Demência de Alzheimer.

  • B.

    Demência com Corpos de Lewy.

  • C.

    Demência frontotemporal.

  • D.

    Demência de Creutzfeldt-Jacob.