Medicina Especialidade Psiquiatria

Considere o caso clínico a seguir, para responder às próximas 4 (quatro) questões. S.C.Z., 65 anos, gênero feminino, casada, professora, natural e procedente de Curitiba, narra que há 3 semanas está mais triste durante todo o dia e há 15 dias tem chorado frequentemente. Desde o início do quadro relata perda do apetite, da vontade, do interesse e da concentração para realizar suas atividades cotidianas. Além disso, descreve cansaço e fadiga. Observa há uma semana que tem se irritado com facilidade. Revela não ter motivação para o tratamento. Ela diz: “Não tenho jeito mesmo, estou velha e não sirvo para nada. Vou me tratar para quê?”. Nega outros sintomas psíquicos e comportamentais. De antecedentes, apresentou três episódios semelhantes anteriores nos últimos 5 anos. Nega ainda outros antecedentes médicos gerais e no momento não apresenta alterações ao exame físico.

O diagnóstico mais provável de S.C.Z é:

Com base nas Políticas Nacionais de Saúde Mental e na Lei n. 10.216, de 6 de abril de 2001, que dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental, avalie as alternativas a seguir e marque a CORRETA:

  • A.

    A internação psiquiátrica involuntária é aquela determinada pela Justiça.

  • B.

    A internação psiquiátrica pode ser realizada mediante laudo de membros que não sejam médicos, desde que o motivo esteja claro.

  • C.

    Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) deverão estar capacitados para realizar prioritariamente o atendimento de pacientes com transtornos mentais severos e persistentes.

  • D.

    Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), em sua modalidade CAPS II, facultam a presença do médico psiquiatra.

  • E.

    Os atendimentos individuais não são realizados nos CAPS.