Medicina Especialidade Psiquiatria

Nos episódios de depressão, o paciente apresenta um rebaixamento do humor, redução da energia e diminuição da atividade. O número e a gravidade dos sintomas permitem determinar tipos de episódios depressivos.

O episódio depressivo grave sem sintomas psicóticos corresponde ao:

  • A.

    Episódio depressivo, acompanhado de alucinações, idéias delirantes, de uma lentidão psicomotora ou de estupor, de uma gravidade tal que todas as atividades sociais normais tornam-se impossíveis; pode existir o risco de morrer por suicídio, desidratação ou desnutrição. As alucinações e os delírios podem não corresponder ao caráter dominante do distúrbio afetivo.

  • B.

    Episódio depressivo, em que geralmente estão presentes quatro ou mais dos sintomas depressivos e o paciente aparentemente tem muita dificuldade para continuar a desempenhar as atividades de rotina

  • C.

    Episódio depressivo, em que geralmente estão presentes ao menos dois ou três dos sintomas depressivos. O paciente usualmente sofre com a presença destes sintomas, mas provavelmente será capaz de desempenhar a maior parte das atividades.

  • D.

    Episódio depressivo, em que vários dos sintomas são marcantes e angustiantes, tipicamente a perda da autoestima e idéias de desvalia ou culpa. As idéias e os atos suicidas são comuns e observa-se em geral uma série de sintomas “somáticos”.

  • E.

    Episódio depressivo, caracterizado pela ocorrência repetida de episódios depressivos, na ausência de antecedente de episódios independentes de exaltação de humor e de aumento de energia (mania).